Ano 16

Arlete Montenegro

*15 de outubro de 1938 - São Paulo - SP

Com Selma Egrei em cena de Sexo, sua única arma (1981), de Geraldo Vietri
Com Selma Egrei em cena de Sexo, sua única arma (1981), de Geraldo Vietri
Veterana atriz da televisão, Arlete Montenegro registrou seu imenso talento no cinema brasileiro, com passagem importante pelo cinema popular das décadas de 1970 e 80.

Arlete Montenegro nasceu no dia 15 de outubro de 1938, em São Paulo. Dona de bela voz, ela começou a carreira no Rádio, estreando como protagonista na radionovela "Silêncio", na Rádio São Paulo. Já com carreira premiada, como o Roquete Pinto, em várias radionovelas, Arlete Montenegro estreia na televisão em 1955, no teleteatro "O Corcunda de Notre Dame", interpretando a cigana Esmeralda. A primeira novela foi no ano seguinte,  "Alguém fechou os olhos de Lucy", e daí não parou mais, atuando em várias emissoras e se tornando uma grande estrela: Excelsior, Tupi, Bandeirantes, TV Cultura, SBT,  Globo, Rede Vida. Entre alguns destaques estão a novela  "A Muralha", de Ivani Ribeiro, e as parcerias com Geraldo Vietri em "Meu Rico Português" ((1975) e "O Bom Baiano" (1978). A atriz desenvolve trajetória importante também no teatro, estreando nos palcos  em 1969, no clássico "Noites Brancas". A estreia no cinema se dá em O Conto do Vigário (1976), de Kleber Afonso. O filme seguinte é Meus Homens, Meus Amores,(1978), de José Mizara. Com sua bela voz, atua também na dublagem, e Orfeu da Carnaval, de Marcel Camus.

Arlete Montenegro faz carreira importante no cinema da Boca do Lixo e em 1980 faz sua melhor personagem no cinema, uma prostituta veterana de um um bordel em Palácio de Vênus (1980), de Ody Fraga. A atriz atua com outros diretores importantes da Boca, como Geraldo Vietri, em que tem outra grande personagem em Sexo, sua única arma (1981), Antonio Meliande, John Herbert e Juan Bajon.

Filmografia

O Conto do Vigário, 1976, Kleber Afonso
Meus Homens, Meus Amores, 1978, José Miziara
Palácio de Vênus, 1980, Ody Fraga
O Sexo nosso de cada dia, 1981, Ody Fraga
Sexo, sua única arma, 1981, Geraldo Vietri
Prazeres Permitidos, Antonio Meliande, 1982
Tessa, a Gata, 1982, John Herbert
As Safadas, 1982, episódio Belinha, a virgem, Antonio Meliande
Tudo na cama, 1983, Antonio Meliande
Júlia e os pôneis, 1987, Juan Bajon
A Guerra dos Vizinhos, 2010, Rubens Xavier
E a vida continua..., 2012, Paulo Figueiredo

Veja também sobre ela
::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.