Ano 17

Lola Laborda

Começa hoje o I Festival CineMulher em Salvador, evento que reunirá, de 12 a 19 de maio, algumas das mais destacadas diretoras brasileiras. Na programação, apresentação de filmes inéditos naquela cidade, como também obras em retrospectiva, palestras e oficinas.

A grande homenageada do Festival é a cineasta Lúcia Murat, em cartaz em cidades brasileiras com o seu belo filme "Quase Dois Irmãos". Lola Laborda, realizadora e curadora do evento, concedeu essa entrevista exclusiva, que é publicada como destaque de aniversário. Afinal, nada mais bem-vindo que um festival como esse, em que as cineastas e seus trabalhos são o centro das discussões e de encontros. Entre as convidadas, além de Murat, estarão as cineastas Tereza Trautman, Helena Solberg, Erika Bauer, Alice de Andrade e a produtora Assunçao Hernandes.

Lola Laborda fala um pouco sobre a sua trajetória e esse momento importante, como realizadora de um festival com esse foco. Lola  fala também sobre o conceito do festival e sobre a escolha de Lucia Murat como homenageada dessa primeira edição. E garante a continuidade do projeto.

 

Mulheres do Cinema Brasileiro: Qual a sua formação, data de nascimento e origem?

Lola Laborda: Sou atriz autodidata. Cheguei a cursar  Direção Teatral, na Universidade Federal da Bahia, mas abandonei quando percebi que preferia interpretar...Fui dirigida por grandes nomes do teatro brasileiro, como Jose Possi Neto e Carlos Alberto Sofredini (saudades...). Nasci em 14 de maio de 1952, no interior da Bahia. Aos 9 anos vim para Salvador .


Mulheres: - Como se deu a sua relação com o cinema brasileiro?

Lola Laborda: Adilson, só fiz um filme como atriz - "Joana Angélica" de Walter Lima Junior- mas a paixão pelo cinema sempre me acompanhou. Agora abri minha própria produtora de cinema ( Fotograma Produções)e vou realizar meu primeiro documentário . Quero trabalhar com temas sociais...


Mulheres: O que te levou a realizar o I Festival CineMulher?

Lola Laborda: Essa mesma paixão que te falei na resposta anterior... De repente percebi que o número de mulheres na direção cinematográfica já era expressivo o suficiente pra justificar um festival só para elas.


Mulheres:  Conte para gente como será o Festival.

Lola Laborda: Venho pensando nele há três anos e só agora deu certo.Lucia Murat será a grande homenageada do evento.Faremos uma Mostra Retrospectiva Lucia Murat, uma Mostra Retrospectiva do Cinema Brasileiro, (não com todos os filmes que eu gostaria, claro.) Uma Mostra Première com filmes inéditos em Salvador. Encontros com diretoras, palestras e oficinas. Na próxima edição, ele assume,  definitivamente, a característica de festival, com mostras competitivas e  muitas novidades...Aguarde! Para maiores informações, acesse nosso site: www.festivalcinemulher.com.br

 
Mulheres: Quantas pessoas estão na equipe do festival e qual foi o custo?

Lola Laborda: Temos uma equipe "enxuta". Somos 6  idealistas.Foi um BO (risossss)


Mulheres:  A população de Salvador prestigia o cinema brasileiro? Você contou
com alguma ajuda do governo e/ou da prefeitura? 

Lola Laborda: Contei com a ajuda do Governo do Estado, que entrou com as salas e equipamento técnico e material humano. E também contei com a Prefeitura de Salvador. 
Mas quem  patrocinou o projeto, no duro, foi o Fundo Nacional de Cultura da Secretaria do Audiovisual.
.

Mulheres: Como se deu a curadoria e a escolha das convidadas e dos filmes?

Lola Laborda: Fiz uma  criteriosa pesquisa e selecionei o que considerei o melhor do cinema brasileiro, procurando contemplar todos os formatos e gêneros. É evidente que não consegui todos os filmes que gostaria, por um motivo ou ou por outro, mas procurei obras que traçassem um panorama geral do cinema nacional dos ultimos 20 anos . As convidadas eu selecionei pela produção mais atual, de forma a diversificar e ter novidades, ao mesmo tempo.

Mulheres: Como você avalia a participação das mulheres na história do cinema
brasileiro?

Lola Laborda: A  mulher realizadora , inequivocamente, arejou o cinema brasileiro com a sua sensibilidade e riqueza de temas e  vem dando uma contribuição inestimável, dando um salto qualitativo e quantitativo: É muito expressivo o número de mulheres na direção cinematográfica e também em outras funções no mundo do cinema. E agora elas estão chegando também às premiações... Não será por acaso.


Mulheres: Como se deu a escolha da cineasta Lucia Murat para ser a homenageada?

Lola Laborda: Olha, no  catálogo do festival, tem um texto meu, que explica isso bem: Vou tentar repetir pra você. Escolhi a Lucia Murat pela sua estória de vida, pelo conjunto de sua obra densa e cumpridora de seu papel social, como instrumento de ação política, pelos prêmios conquistados em nome do cinema brasileiro, e também por ser a primeira mulher a presidir a ABRACI - Associação Brasileira de Cineastas- Foi uma escolha mais do que justa, você não acha?

 
Mulheres: Já está garantido o II Festival CineMulherI?

O que você acha? Elementar, meu caro Watson...


Lola Laborda: Tem mais alguma coisa que você gostaria de acrescentar?

Sim, que ninguém ouse duvidar daquilo que eu disser que vou realizar. Sou uma rocha ....Vida longa ao Festival CineMulher!

Mulheres: Obrigado pela entrevista.


Entrevista realizada em maio de 2005.

Veja também sobre ela

::Voltar
Sala 
 Sala Dina Sfat
Atriz intensa nas telas e de personalidade forte, com falas polêmicas.