Ano 16

Olhar ralo e reducionista

Série documental para a TV


Escândalo!

Assisti, enfim, a série As Mulheres no Cinema Brasileiro, dirigida por Sonia Nercessian e narrada por Norma Bengell, uma das produtoras e também creditada como "idéia original" (????).

Tenho ódio mortal por Norma Bengell devido a um fato particular que me envolve a ela e que não cabe falar aqui - ainda que a reconheça como uma das dez atrizes mais importantes do cinema brasileiro.

A série é bem produzida, mas é impressionante como, mais uma vez, as mulheres do cinema nacional da década de 70 são maltratadas.

Ainda que cometa erros como minimizar a importância de Cleo de Verberena; sequer citar o pioneirismo das cineastas Maria Basaglia e Zélia Costa; ignorar Renata Fronzi, Inalda de Carvalho, Vera Regina, Consuelo Leandro e Heloisa Helena nas chanchadas; e insistir em chamar Eliane Lage de Eliane, o que mais me chocou foi a invisibilidade para as musas dos anos 70, sobretudo as deusas da Boca do Lixo.

Helena Ramos e Rossana Ghessa são citadas rapidamente.

Será que elas não sabem que Helena Ramos (foto) é uma das outras nove atrizes mais importantes do cinema brasileiro?

E para elas não existem:

- Matilde Mastrangi, Monique Lafond, Nicole Puzzi, Patricia Scalvi, Sandra Bréa, Zilda Mayo, Selma Egrei, Aldine Muller, Sandra Barsotti, Adele Fátima, Alvamar Taddei, Kate Lyra, Alba Valério, Marlene França, Claudette Joubert, Meire Vieira, Elisabeth Hartman, Wilza Carla, Maria Lucia Dhal, Maria Rosa, Kate Hansen, Dilma Lóes, Misaki Tanaka, Zaira Bueno, Marta Anderson, Neide Ribeiro, Vanessa Alves, Simone Carvalho, Nadia Lippi, Silvana Lopes, Arlete Moreira, Vera Gimenez...
... e tantas outras...

Como também não há recohecimento para o tamanho de Lucélia Santos no nosso cinema.

Enfim...

Triste.
E obsceno!


Um adendo

Um amigo me questionou, muito apropriadamente, como distinguo Norma Bengell e Helena Ramos como duas das dez mais importantes atrizes do cinema brasileiro, se em meu trabalho no site Mulheres do Cinema Brasileiro coloco todas as mulheres em pé de igualdade e de importância.

O que expliquei para ele, explico aqui:

- Cada pesquisador se vale de uma metodologia e a que eu persigo está profundamente ficanda nesse conceito de que realmente TODAS as mulheres têm a mesma importância para a história do cinema brasileiro, pois cada uma delas contribuiu ou contribui para a construção de nossa identidade fílmica.

Mas no geral, as correntes de pesquisa destacam figuras pelo seu relevo em um determinado momento histórico, movimento ou ciclo. E é sob essa ótica que fiz a distinção, em plano geral, e não no meu plano específico.

Como todos sabem também, minha atriz do coração é Isabel Ribeiro, que não à toa intitula a sala dedicada às atrizes no meu site. Mas também admiro todas as outras, não só atrizes, mas das outras diferentes áreas do cinema brasileiro.

Porém, se fossemos distinguir por essa visão geral, como meu amigo me questionou, podemos até listar essas atrizes - que extrapolam as 10 mais, aqui mais como figura de linguagem - e que são aquelas que, para qualquer linha de pesquisa, seria impossível não falar sobre elas.


E caros, sob essa ótica, é impossível não falar de Helena Ramos, musa absoluta da década de 70 e do cinema popular.

sábado, 15/16 de maio de 2009

::Voltar
Sala 
 Ruth de Souza
Pioneira e talentosa atriz, Ruth de Souza é referência para a cultura negra no Brasil.