Ano 18

17ª Cineop- Roda de Conversa+Mostra Homenagem

Cena de Desterro Guarani, de Kuaray Poty (Ariel Ortega), Pará Yxapy (Patricia Ferreira), Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho
A cobertura de sexta-feira, 24, foi toda dedicada aos cineastas homenageados Kuaray Poty (Ariel Ortega) e Pará Yxapy (Patricia Ferreira).

Durante a tarde, no Centro de Convenções Ouro Preto, aconteceu a Roda de Conversa com o tema "Ariel e Patícia: Dois cineastas e um Percurso", que reuniu os dois cineastas, o antropólogo Bruno Huyer, o cineasta Ernesto de Carvalho e a cineasta Sophia Pinheiro, com mediação do curador Cléber Eduardo.

Todos os integrantes fazem parte do projeto Vídeos nas Aldeias, onde Ariel e Patrícia começaram suas trajetórias cinematográficas, a partir de oficinas realizadas em sua aldeia pelo projeto em 2007/2008.

Ariel ressaltou o seu interesse imediato pelo universo das imagens mesmo antes do encontro com o Vídeos nas Aldeias "Eu fui o primeiro a ter o celular na aldeia e o único que tinha um que tirava foto e filmava". Daí que seu encontro com os cineastas Vincent Carelli e Ernesto de Carvalho, e, consequentemente, com o cinema, foram como que uma confirmação de um desejo e de uma vocação. 

Já com Patrícia foi diferente, pois ainda que tenha participado desde a primeira oficina, foi só na segunda que realmente considerou o cinema como uma possibilidade real."Foi um caminho difícil, pois eu dava aula e conciliar as duas coisas foi bem complicado".

Ariel e Patrícia revisitaram suas trajetórias, seus interesses no e pelo cinema, a cosmologia do povo Guarani, e o lugar de seu povo no coração do Brasil.

Todos os que participaram da Mesa estão, no momento, envolvidos em um longa agraciado com o prêmio Working in progess na última edição da Mostra de Cinema de Tiradentes.

Segundo Ernesto de Carvalho, do Vídeo nas Aldeias, o novo filme está sendo um desafio, pois focaliza também o povo Guarani que está localizado do outro lado do rio, ou seja, na Argentina. Por ser marcadamente um povo que se desloca pelo território, os Guaranis não reconhecem fronteiras, mas os países sim. Então ainda que moram parentes de um lado e do outro, separados apenas pelo rio, na verdade, são dois países com suas fronteiras e tudo o que advém disso.

Curtas

À noite, no Cine-Teatro, a Mostra Homenagem exibiu três curtas: M’BYA MIRIM – Palermo e Neneco - direção: Kuaray Poty (Ariel Ortega), Pará Yxapy (Patrícia Ferreira); Mário Reve Jaguatá; No caminho com Mario - direção: Coletivo M’Bya Guarani de Cinema; M’BYA MIRIM; e  Desterro Guarani - direção: Kuaray Poty (Ariel Ortega), Pará Yxapy (Patricia Ferreira), Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho.

Palermo e Neneco é um extrato ampliado da presença dos garotos irmãos de Bicicletas de Nhanderú, dirigido por Ariel e Patrícia. 

É um filme para crianças, o que, segundo os diretores, é uma forma de educar e formar as crianças não-indígenas sobre a sua cosmologia e combatendo a cristalização do preconceito já a partir da tenra idade em seus anos de formação. Já No caminho de Mario é quase uma continuação desse primeiro filme, realizado em 2012  - esse segundo é de 2014. Ou seja, aí já adentrando ao universo da adolescência. 

Desterro Guarani foi o grande filme da noite, um olhar histórico e uma reflexão sobre a gênese e a resistência do povo Guarani frente a apropriação do branco sobre suas terras e a delimitação de suas vivências. 

O filme se vale da oralidade dos anciãos, que refazem a trajetória do líder Sapé até a localidade, a construção do que são hoje as Ruínas de São Miguel das Missões, o projeto de aculturação dos jesuítas.

Desterro Guarani se vale também de imagens que falam por si só, como as assembleias públicas em diferentes anos em que os Guaranis repetidamente clamam seus direitos às terras, ou ainda o encontro entre os garotos indígenas e os turistas. Uma delas dá de esmola uma moeda de 10 centavos e diz que já chega diante de novo pedido, já outra pede para o garoto mostrar os dentes.

Desterro Guarani, que é dirigido a várias mãos, não é apenas um registro documental de um povo aviltado em seus direitos, o que já seria muito, é também um filme em que o cinema se configura de altíssima cepa.


*********************

17ª Cineop - Mostra de Cinema de Ouro Preto
De 22 a 27 de junho de 2022
Programação gratuita - cineop.com.br

::Voltar
Sala 
 Betty Faria
Com amor profundo pelo cinema, premiada em vários festivais no Brasil e no exterior