Ano 17

9 Olhar de Cinema

Para onde voam as feiticeiras (2020), de Eliane Caffé, Carla Caffé, Beto Amaral
De 7 a 15 de outubro acontece o prestigiado e importante Olhar de Cinema - Festival Internacional de Cinema, que chega à 9a. edição. Devido à pandemia da Covid-19, o festival acontece pela primeira vez virtualmente, o que possibilitará ao Mulheres do Cinema Brasileiro fazer a cobertura.

Devido ao foco do site, a cobertura será da programação brasileira, compreendendo a exibição dos filmes e, se possível, também de algum debate. É uma oportunidade ímpar mesmo, pois, há muito, que queríamos acompanhar o Olhar de Cinema.

O Olhar de Cinema - Festival Internacional de Cinema coloca em evidência e celebra o cinema nacional e internacional. Na programação, "filmes com  propostas estéticas inventivas, envolventes e com comprometimento temático, que abrange desde a abordagem de inquietações contemporâneas acerca do micro universo cotidiano de relacionamentos, até interpretações e posicionamentos sobre política e economia mundial". 

A programação é extensa, com exibição de curtas e longas, Seminário de Cinema de Curitiba, oficinas, e o Curitiba Lab.

A cerimônia de abertura acontece no dia 7, às 19h, com a exibição de Para onde voam as feiticeiras (2020 - 89min.), dirigido por Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral.

Já o filme de encerramento será Antena da Raça (Brasil, 2020, 71 min.), de Paloma Rocha e Luís Abramo.

Além dos filmes de abertura e de encerramento, o 9o. Olhar de Cinema vai apresentar, dentro do Festival, várias mostras: Olhar Retrospectivo; Olhares Clássicos, Foco, Exibições especiais, Competitiva, Novos Olhares, Outros Olhares, Mirada Paranaense, Pequenos Olhares, Olhares Brasil.

O corpo de jurado conta com várias mulheres: Tatiana Carvalho Costa, Cynthia Garcia Calvo, Shai Heredia, Maíra Buhler, Haruka Hama, Stephania Amaral, Susy Freitas, Vanessa Vieira, Ester Marçal Fér. E ainda Nicolas Feodoroff, Gerwin Tamsma, James Lattimer, Gil Baroni, Damián Sainz, Daniel Herculano, Daniel Medeiros.


Serão exibidos os seguintes filmes brasileiros, todos no hotsite do festival:

Mostra Competitiva - Longas 
Entre Nós Talvez Estejam Multidões ( Brasil, 2020, 99 min.) de Pedro Maia de Brito, Aiano Bemfica
Luz nos Trópicos (Brasil, 2020, 260 min.) de Paula Gaitan

Mostra Competitiva - Curtas
Chão de Rua (Brasil, 2019, 20 min.) de Tomás von der Osten
Noite de Seresta (Brasil, 2019, 19 min.) de Sávio Fernandes, Muniz Filho

Mostra Foco
Filmes do cineasta Daniel Nolasco
Vento Seco (Brasil, 2020, 110 min.)
Mr. Leather (Brasil, 2019, 85 min.)
Paulistas (Brasil, 2017, 80 min.)

Mostra Novos Olhares
Agora (Brasil, 2020, 70 min.), de Dea Ferraz
Los conductos (Colômbia/França/Brasil, 2020, 70 min.), de Camilo Restrepo
Pajeú (Brasil, 2020, 74 min.), de Pedro Diógenes

Mostra Outros Olhares - Longas
O Reflexo do Lago (Brasil, 80 min.), de Fernando Segtowick.
O índio Cor de Rosa (Brasil, 71 min.), de Tiago de Almeida.
A Flecha e a Farda ( Brasil, 90 min.), de Miguel Antunes Ramos.

Mostra Outros Olhares - Curtas
Manual do Zueiro Sem Noção (Brasil, 16 min.) de Joacelio Batista;
Memby (Brasil, 15 min.) de Rafael Castanheira Parrode;
Rafameia (Brasil, 24 min.) de Mariah Teixeira, Nanda Felix;

Mostra Olhares Brasil - Longas
Um Animal Amarelo (Brasil/Portugal/Moçambique, 2020, 115 min.), de Felipe Bragança
Cabeça de Nêgo (Brasil, 2020, 86 min.), de Déo Cardoso 
Canto dos Ossos (Brasil, 2020, 89 min.), de Jorge Polo e Petrus de Bairros
Cavalo (Brasil, 2020, 85 min.), de Rafhael Barbosa e Werner Salles Bagetti
Fakir (Brasil, 2019, 92 min.), de Helena Ignez
Sertânia (Brasil, 2019, 97 min.), de Geraldo Sarno
Yãmi?yhex: as mulheres-espírito (Brasil, 2020, 76 min.), da Associação Filmes de Quintal

Mostra Olhares Brasil - Curtas-metragens 
Enraizadas (Brasil, 2019, 14 min.), de Juliana Nascimento e Gabriele Roza
Inabitável (Brasil, 2020, 20 min.), de Matheus Farias e Enock Carvalho
Mãtãnãg, a Encantada (Brasil, 2019, 14 min.), de Shawari Maxacali e Charles Bicalho
Minha História É Outra (Brasil, 2019, 22 min.), de Mariana Campos
A Morte Branca do Feiticeiro Negro (Brasil, 2020, 10 min.), de Rodrigo Ribeiro
Os Últimos Românticos do Mundo (Brasil, 2020, 23 min.), de Henrique Arruda
O verbo se fez carne (Brasil, 2019, 6 min.), de Ziel Karapotó

::Voltar
Sala 
 Betty Faria
Com amor profundo pelo cinema, premiada em vários festivais no Brasil e no exterior