Warning (512): /home/mcb/public_html/site/app/tmp/cache/curto/ is not writable [CORE/cake/libs/cache/file.php, line 267]
Warning (512): /home/mcb/public_html/site/app/tmp/cache/longo/ is not writable [CORE/cake/libs/cache/file.php, line 267]
Warning (512): /home/mcb/public_html/site/app/tmp/cache/ is not writable [CORE/cake/libs/cache/file.php, line 267]
Warning (512): /home/mcb/public_html/site/app/tmp/cache/persistent/ is not writable [CORE/cake/libs/cache/file.php, line 267]
Warning (512): /home/mcb/public_html/site/app/tmp/cache/models/ is not writable [CORE/cake/libs/cache/file.php, line 267]
Mulheres do Cinema Brasileiro - Mulheres
Ano 14

Míriam Pires

*20 de abril de 1927, +07 de setembro de 2004 - Rio de Janeiro - RJ

Cena de Chuvas de verão, 1978, Carlos Diegues
Cena de Chuvas de verão, 1978, Carlos Diegues
Protagonista da mais bela cena de sexo do amor outonal do cinema brasileiro, junto com o saudoso Jofre Soares, Miriam Pires iluminou de ponta a ponta o inesquecível Chuvas de verão, de Carlos Diegues.

Miriam Pires iniciou sua carreira na TV, no início da década de 60, veículo em que se tornaria presença constante em cerca de 50 produções, entre novelas e minisséries - Locomotivas (1977), Meus filhos, minha vida (1984), e Tieta (1989) são alguns destaques. Dona de um talento inquestionável, a atriz é capaz de interpretar desde as mais duras personagens, como foi na sua estreia no cinema em 1976, no ótimo Aleluia gretchen, de Sylvio Back, como até a mais doce e recata dona Alzira de Chuvas de verão. Esses dois filmes são os momentos mais marcantes de sua carreira no cinema.

Miriam Pires atuou em quase uma dúzia de filmes, sendo que seu período de presença mais constante no cinema foi nas décadas de 70 e 80, sob a direção de cineastas como Braz Chediak, Bruno Barreto, Hector Babenco e Djalma Limongi Batista. 



Filmografia

Aleluia gretchen, 1976, Sylvio Back
O vampiro de cobacabana, 1976, Xavier de Oliveira
Essa mulher é minha... e dos amigos, 1976, Alberto Pieralisi
Chuvas de verão, 1978, Carlos Diegues
Bonitinha, mas ordinária, 1981, Braz Chediak
Gabriela, 1983, Bruno Barreto
O beijo da mulher aranha, 1985, Hector Babenco
Brasa adormecida, 1987, Djalma Limongi Batista
Um trem para as estrelas, 1988, Carlos Diegues
Beijo 2348/72, 1990, Walter Rogério
Copacabana, 2001, Carla Camurati
Quanto vale ou é por quilo?, 2005, Sérgio Bianchi

::Voltar
Sala 
 Isabel Ribeiro
Presença luminosa nas telas, brilhou no cinema, teatro e televisão.